Movimentos, entidades e partidos lançam Frente Ampla pelas Diretas e convocam lutas

Movimentos, entidades e partidos lançam Frente Ampla pelas Diretas e convocam lutas

Tagline

Para o PSOL, além de eleições diretas imediatas para presidente é preciso deter as reformas.

Leia mais...
Frente Parlamentar “Diretas Já!” será lançada no Congresso

Frente Parlamentar “Diretas Já!” será lançada no Congresso

Tagline

PSOL, PSB, PT, PDT e PCdoB encabeçam movimento suprapartidário em defesa das eleições diretas imediatas.

Leia mais...
MP’s de Temer provocarão desmatamento e exploração de garimpo

MP’s de Temer provocarão desmatamento e exploração de garimpo

Tagline

PSOL votou contra as propostas que reduzem áreas de unidades de conservação e beneficiam latifundiários e grileiros.

Leia mais...
PSOL vota não, mas reforma da Previdência é aprovada na Comissão Especial

PSOL vota não, mas reforma da Previdência é aprovada na Comissão Especial

Tagline

Agentes penitenciários ocuparam plenário e impediram a conclusão da votação. PSOL apresentou proposta de referendo popular.

Leia mais...
Os direitos dos trabalhadores jogados na lata do lixo

Os direitos dos trabalhadores jogados na lata do lixo

Tagline

PSOL votou contra a Reforma Trabalhista que marca a perda histórica dos direitos trabalhistas dos brasileiros sob farsa de uma…

Leia mais...

PSOL indica Luciana Genro à Prefeitura de Porto Alegre

ENCONTRO DO PSOL INDICA LUCIANA GENRO À PREFEITURA DE PORTO ALEGRE

 

Aparece em segundo lugar nas pesquisas e é a única alternativa ao PT e a Fogaça na Capital
09/12/2007

Animados pela publicação da pesquisa Data Folha divulgada neste domingo, 8, mais de cem delegados do PSOL formalizaram o nome da deputada Luciana Genro como candidata de consenso do partido nas eleições de 2008. O Data Folha coloca Luciana empatada na segunda posição com outras candidaturas ainda incertas e em condições de disputa, inclusive, da primeira colocação em todos os cenários, na preferência dos eleitores de Porto Alegre. A candidata do PSOL, que falou sobre programa de governo, enfatizou a autoridade política e moral do partido para apresentar-se como uma alternativa comprometida com as reais necessidades do povo de Porto Alegre. “A coerência daqueles que construíram o PSOL nos confere credibilidade no sentido de que a população sabe que não fazemos promessas eleitoreiras, mas cumprimos com nossa palavra até o final” destacou Luciana.
Além de indicar Luciana como candidata, os militantes reunidos no 1º Encontro Municipal do PSOL votaram a política de alianças para a campanha do ano que vem, aprovando a aliança com o Partido Verde de Porto Alegre, além da reedição da Frente de Esquerda, com PSTU e PCB. Sobre este tema, Luciana destacou ainda que a principal aliança do PSOL no processo eleitoral será o com a maioria do povo da cidade.
O Encontro definiu também a direção municipal do Partido, tendo Etevaldo Teixeira sido eleito por ampla maioria para a Presidência do PSOL de Porto Alegre. "O desafio agora, como disse a nossa Presidente, Heloísa Helena, é construir a candidatura de Luciana Genro como uma prioridade nacional do partido para governar Porto Alegre. Vamos disputar para vencer!", declarou ele.
Os debates se estenderam durante todo o dia de domingo na Câmara Municipal de Porto Alegre. Mais de 40 delegados fizeram uso da palavra especialmente fazendo contribuições ao programa de governo do PSOL para a Capital. Diversas resoluções também foram aprovadas, entre elas, a solidariedade ativa do partido com Dom Luiz Cappio, em greve de fome há 12 dias contra a transposição do Rio São Francisco. A deputada Luciana Genro irá até a Bahia levar esta mensagem de solidariedade e apoio à luta do bispo e dos povos do São Francisco pessoalmente, na próxima terça-feira.

PSOL cobra resposta sobre requerimentos a respeito do Parque de Itatiaia e licitação nos Correios

O líder do PSOL, deputado Chico Alencar (RJ), cobrou, na sessão da tarde desta terça-feira 11, na Câmara, esclarecimentos a respeito de dois requerimentos de informação elaborados pelo partido que já estão com prazos de respostas vencidos. Os pedidos de informações referem-se à situação do Parque Estadual de Itatiaia e ao processo licitatório de contratação de agência de publicidade para a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

O requerimento (nº 1230/2007) sobre o Parque Estadual de Itatiaia, criado em 1937, solicita ao Ministério do Meio Ambiente e ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informações da atual situação do parque, sua relação com o Núcleo Colonial de Itatiaia e a situação fundiária das propriedades localizadas na área do parque. O prazo deste requerimento venceu no dia 1º de dezembro.

O requerimento (nº 1008/2007) questiona ao Ministério das Comunicações os processos licitatórios utilizados para a contratação de empresa para serviços de publicidade dos Correios. Conforme reportagens veiculadas pela imprensa haveriam irregularidades na licitação, vencida pela agência Casablanca, a mesma que realizou campanha eleitoral do ministro das Comunicações, Hélio Costa, ao Senado. Este requerimento teve seu prazo de resposta vencido em 7 de novembro.

O presidente Arlindo Chinaglia comprometeu-se a verificar junto a mesa diretora os motivos da falta de resposta aos requerimentos. O PSOL protocolou ofícios reiterando seu pedido de informações.

 

Pesquisas confirmam PSOL como alternativa de esquerda

O Instituto Datafolha publicou (dezembro de 2007) o resultado de pesquisas de opinião sobre as eleições de 2008 em nove capitais e para presidência da república de 2010, pesquisa válida para todo o país. Apesar de ter testado uma quantidade grande de cenários, devido a indefinições partidárias em relação a candidaturas, uma verdade transparece dos resultados: O PSOL vem se consolidando como alternativa política aos olhos de importantes segmentos sociais.

Contudo, cabem duas ressalvas importantes. A primeira, diz respeito ao fato de que o referido instituto omitiu dos cenários eleitorais inúmeros nomes partidários que estão sendo debatidos como possíveis pré-candidatos. Foi o caso de Ivan Valente e Gianazzi em São Paulo, Afrânio Boppré em Florianópolis, Edilson em Recife e Dra. Clair em Curitiba. A cidade de Belém, um dos municípios escolhidos como prioritários não fez parte da pesquisa publicada. A segunda refere-se ao fato de que o partido não definiu oficialmente seus nomes e somente em março, na sua conferência eleitoral, definirá diretrizes programáticas e política de alianças.

Os resultados de Heloisa Helena são bastante animadores. Foram testados oito cenários possíveis para 2010. Heloisa aparece com intenção de 13 a 20 por cento, sempre a frente dos candidatos petistas, ficando abaixo apenas de Ciro Gomes e José Serra, os quais estão em plena campanha. Estes percentuais representam um crescimento significativo em relação ao conseguido no último pleito.

Três destaques políticos da pesquisa. O primeiro é que nos eleitores de nível superior Heloisa Helena chega a aparecer em segundo lugar. Em segundo lugar, a votação de Heloisa é mais significativa nas capitais, sendo que em algumas esse resultado estás bem acima da média e será um elemento de alavancagem de nossas candidaturas nas capitais.  Exemplo disso são os resultados do Rio de janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Salvador e Curitiba. É lógico que criar as condições para candidaturas competitivas nessas cidades é pré-condição para que essa simpatia por Heloisa se converta em votos.

Noticias boas também aparecem nas pesquisas realizadas nas capitais. Apenas em três nomes do PSOL foram testados (Porto Alegre, Rio de Janeiro e Fortaleza).

Em Porto Alegre, a deputada Luciana Genro aparece em segundo lugar nas sondagens eleitorais para 2008. Sua votação varia entre 12% a 14% dos eleitores, mas chega a 23% no nível superior.

No Rio de janeiro o cenário eleitoral está indefinido. Ficam evidentes dois blocos de candidatos, o primeiro com intenção por volta de 15% e outro com intenções por volta de 8%. O deputado Chico Alencar faz parte do segundo bloco. Vale comentar que estes resultados foram conseguidos sem campanha na rua.

Em Fortaleza o valoroso companheiro Renato Roseno aparece com 3% de intenção de votos.

Esses resultados demonstram a importância do partido aprofundar as bases programáticas para a disputa de 2008, vincular o debate local com as grandes questões nacionais e acelerar o debate interno sobre a nominata de nossas candidaturas majoritárias e proporcionais, priorizando as cidades com maior potencial irradiador de cada região.

Luiz Araújo é Secretário Geral do PSOL

Deputados fazem ato contra paralisia do plenário da Câmara

 

Parlamentares do PSOL, PPS, PSDB e PV realizaram um ato contra a paralisia que vem enfrentando a Câmara dos Deputados devido à estratégia de obstrução de governistas que querem evitar a votação de medidas provisórias, que trancam a pauta da Câmara, para não dificultar a tramitação da PEC que prorroga a CPMF no Senado. Os deputados levantaram cartazes com palavras em referência à CPMF e a DRU e dizendo não ao “recesso cinzento”.

Para o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), é espantoso e inédito que a maioria da Casa se utilize de um argumento, usado geralmente pela minoria, para obstruir a pauta e impedir votações. “É espantoso. Estamos reféns, dirigidos por uma maioria governista que não quer que se vote, que se discuta. É uma situação completamente estapafúrdia”, declara. O que resta, afirma, é a denúncia dessa situação que resulta em um recesso cinzento. Além de Recesso Cinzento Não, os cartazes traziam referências à CPMF e a DRU, cuja PEC tramita no Senado: Câmara Parada Muda Fraca e Deputados Reféns Ultraje.

“O ano legislativo vai se encerrar dessa forma melancólica, com a Câmara paralisada”. Apesar de o presidente Arlindo Chinaglia ter dito, em plenário, que ocorreram, em 2007, 79 sessões ordinárias e 110 extraordinárias, Chico Alencar disse que 75% das matérias aprovadas são originárias do Executivo e somente 8 parlamentares tiveram projetos seus aprovados em plenário e sancionados pelo presidente da República.

Segundo o líder do PSOL, as comissões continuam atuando dentro da Câmara, analisando proposições e debatendo em audiências públicas temas pertinentes, mas o trabalho dos parlamentares, em sua opinião, tem no plenário seu momento mais pleno. A paralisia do plenário da Câmara, ratifica Chico Alencar, é patrocinado por homens e mulheres da maioria política e resulta em uma crise de credibilidade, já que propostas importantes constam na pauta de votação, como o fim do voto secreto, a do fim do nepotismo e a que trata das defensorias públicas.

“É altamente frustrante e lamentável essa situação da Câmara dos Deputados. Aí nossa credibilidade fica em 0,38% e ninguém sabe porquê”, ironiza Chico Alencar.

Facebook PSOL na Câmara