Nota de apoio da Bancada do PSOL à ocupação do MTST no Distrito Federal

Ligado .

 

Centenas de famílias ocupam prédio desocupado há mais de 20 anos em Taguatinga. Ocupação recebeu o nome de Acampamento Novo Pinheirinho. O projeto das elites brasileiras está atrelado à especulação financeira e à imobiliária. Não é surpresa, portanto, que no Distrito Federal, o partido que cada dia mais se alia às grandes empreiteiras não dialogue com o Movimento Social que luta por moradia. Não é surpresa que o Governo do PT no DF demonstra nesses primeiros dois anos de gestão um maior compromisso com o andar de cima - como no exemplo do Noroeste - do que com as políticas direcionadas aos setores sociais mais necessitados. Enquanto prédios gigantescos são erguidos para os ricos, o movimento social é tratado como criminoso pela polícia.

 

Para o PSOL não há princípio democrático que beneficie a especulação imobiliária em detrimento da moradia de cidadãos. Acreditamos que a construção da nova ordem social que defendemos perpassa a união com os movimentos sociais. Seria de uma pretensão incalculável achar que nós, representantes, sabemos mais que nossos representados, que estão na luta diária, que sofrem na pele a exploração, que sabem muito bem o quê e como reivindicam. O mandato popular do partido deve, por razões óbvias, amparar-se na ideologia emancipatória, que empodera constantemente movimentos sociais e não os abandona a favor de alguns-milhões de reais para a campanha eleitoral. Há uma inversão de valores em voga no Distrito Federal e nós sabemos de que lado estamos.

Assinam:
Chico Alencar (Deputado Federal - PSOL/RJ)
Ivan Valente (Deputado Federal – PSOL/SP)
Jean Wyllys (Deputado Federal - PSOL/RJ)
Randolfe Rodrigues (Senador da República – PSOL/AP)