TODO APOIO À GREVE DOS TRABALHADORES DA EBC

Por reajuste salarial digno e mais direitos! Contra o assédio moral e os privilégios!

Os trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), antiga Radiobras, iniciaram nesta terça-feira (10/11), greve por tempo indeterminado, com a participação de jornalistas, radialistas e funcionários do administrativo. A categoria luta por aumento salarial conforme o índice do IPCA, mais um ganho real linear para todos os empregados de R$ 450 (esse valor corresponde a cerca de 5% do total da folha de pagamento da empresa). Além das melhorias no salário e nos benefícios, jornalistas e radialistas querem o fim dos privilégios dentro da empresa para gestores e diretores. Eles reivindicam a isonomia dentro do quadro de empregados e pressionam para que, neste momento em que os patrões e o governo alegam ser de crise, a empresa faça cortes em cargos comissionados, nos salários das chefias e outros benefícios dos cargos já mais bem remunerados.

A direção da EBC oferece 3,5% de aumento, proposta rejeitada por unanimidade pelos grevistas.

Com cerca de 2 mil empregados, a EBC é responsável pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Portal EBC, Radioagência Nacional, além de oito emissoras de rádio, como as Rádios Nacional do Rio de Janeiro e de Brasília e as Rádios MEC AM e FM. Opera serviços como o canal de televisão NBr e o programa de rádio "Voz do Brasil".

A bancada do PSOL na Câmara manifesta todo o seu apoio a esta luta e considera justas as reivindicações do movimento de greve. Os trabalhadores não podem pagar pela política de ajuste fiscal para os "de baixo", adotada pelo governo Dilma e que beneficia o capital financeiro, em detrimento de salários dignos e melhores condições de trabalho. A proposta apresentada pela direção da empresa, não repõe as perdas da inflação acumulada no último ano, na linha da política de arrocho que o PSOL rejeita.

Ademais, entendemos que o fortalecimento da EBC, hoje a maior empresa de comunicação pública do país, pressupõe a valorização profissional de seus trabalhadores. Isso é fundamental para que a população brasileira tenha assegurado seu direito a uma comunicação de qualidade. Um direito que deve ser cumprido pelo Estado e que jamais poderá ser garantido pelos interesses de mercado que regem os meios de comunicação privados no país.

Reafirmamos todo o nosso apoio à greve dos trabalhadores da EBC, nos solidarizando e nos colocando a disposição de suas entidades representativas para o desenvolvimento de ações no âmbito da Câmara dos Deputados e dos movimentos sociais. Também esperamos que o governo Dilma, por meio do Ministério do Planejamento, se disponha a renegociar uma proposta digna.

Defender a comunicação pública passa, necessariamente, pela defesa de seus trabalhadores!

 

Deputado Chico Alencar
Líder do PSOL na Câmara dos Deputados

Deputados Chico Alencar, Edmilson Rodrigues, Glauber Braga, Ivan Valente e Jean Wyllys.

 

Brasília, 12 de novembro de 2015.