Divulgação da lista de Fachin esvazia plenário e projeto para estados não é votado

Ligado .

Contrapartidas impostas são alvo de crítica do PSOL, que continuará em obstrução.

Silêncio sepulcral no plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados, na terça-feira (11), após a divulgação da lista do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, relator da Lava Jato.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comandava a sessão, que tinha como pauta única a renegociação da dívida com os estados (PLP 343/2017), e tratou logo de encerrá-la. Maia é um dos citados na lista de Fachin para abertura de inquérito, juntamente com outros 41 deputados federais, 29 senadores e nove ministros do governo Temer.

A obstrução da bancada do PSOL ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 343/2017, que renegocia a dívida dos estados, mas traz como contrapartida um pesado ajuste fiscal, que inclui aumento de contribuição para servidores, privatização e congelamento de salários, já dura algumas semanas.

Para o líder da bancada, deputado Glauber Braga (RJ), o projeto erra ao impor o pagamento da conta à sociedade e aos servidores públicos. “Essa matéria não ajuda o Rio, não ajuda os outros estados e não deve prosperar”, disse.

O PLP 343 deve ser incluído na pauta da próxima semana. E a obstrução continuará.