Contra as reformas, centrais sindicais convocam Ocupa Brasília para 24 de maio

Ligado .

O objetivo é encher as ruas do centro da capital federal para dizer que a população não aceita as ameaças impostas pelo governo de Michel Temer.

A grande manifestação em Brasília para tentar barrar a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista pelo Congresso Nacional já tem data marcada. Em reunião no último dia 8, as centrais sindicais decidiram convocar uma marcha nacional em Brasília para o dia 24 de maio. E para esta grande mobilização, que faz parte do Ocupa Brasília (22 a 26/05), chamam todas as organizações de trabalhadores, estudantes e movimentos sociais para se somarem na construção. O objetivo é encher as ruas do centro da capital federal para dizer que a população não aceita as ameaças impostas pelo governo de Michel Temer.

O novo calendário de luta já havia sido aprovado pelas centrais, entre as quais a Intersindical-Central da Classe Trabalhadora, a CSP Conlutas e a CUT, após uma ampla avaliação sobre a greve geral do dia 28 de abril, que parou o país. Na avaliação das centrais, os trabalhadores demonstraram sua disposição em combater o desmonte da Previdência Social, dos direitos trabalhistas e das organizações sindicais.

“A forte paralisação teve adesão nas fábricas, escolas, órgãos públicos, bancos, transportes urbanos, portos e outros setores da economia e teve o apoio de entidades da sociedade civil como a CNBB, a OAB, o Ministério Público do Trabalho, associações de magistrados e advogados trabalhistas, além do enorme apoio e simpatia da população, desde as grandes capitais até pequenas cidades do interior”, ressalta texto de avaliação divulgado pelas centrais no dia 4 de maio.

Além do Ocupa Brasília de 22 a 26 de maio, com a grande marcha no dia 24, o calendário de lutas marcado pelas centrais sindicais também inclui a agenda de 8 a 12/05, com comitiva permanente de dirigentes sindicais no Congresso Nacional e também atividades em suas bases eleitorais para pressionar deputados e senadores a votar contra a retirada de direitos. Nesta semana, também deverão ser realizadas atividades nas bases sindicais e nas ruas para aprofundar o debate com os trabalhadores e a população, sobre os efeitos negativos das reformas.

 

PSOL convoca militância
Em reunião no último final de semana (6 e 7/05), o Diretório Nacional do PSOL aprovou resolução convocando a militância para participar do novo calendário de lutas, marcado pelas centrais sindicais. Na avaliação dos dirigentes nacionais do PSOL, a greve geral do dia 28 de abril foi vitoriosa e mostrou a capacidade de organizações dos diversos movimentos sociais e sindicais.

O partido chama a sua militância para construir o Ocupa Brasília, garantindo uma importante participação do partido na marcha nacional deliberada unitariamente pelas centrais sindicais. Além disso, também se compromete a fortalecer a construção unificada de uma nova greve geral no Brasil.

 

 

Do PSOL Nacional www.psol50.org.br