PSOL e Rede protocolam representação contra Aécio Neves

Ligado .

Documento pede cassação do mandato do senador, que teria recebido R$ 2 milhões de propina.

PSOL e Rede protocolaram no Conselho de Ética do Senado Federal, na tarde da quinta-feira (18), representação por quebra de decoro parlamentar contra o senador – agora afastado – e presidente do PSDB, Aécio Neves (MG).

Na representação, os partidos afirmam que há indícios de corrupção passiva. Gravações feitas por Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, mostram Aécio Neves pedindo R$ 2 milhões. As revelações foram feitas pelo jornal O Globo, na noite de quarta-feira (17). A delação premiada dos empresários da JBS, foi homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal e relator da Lava Jato, Edson Fachin.

As gravações mostram também o presidente Michel Temer dando autorização para compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso, e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) acusado de ter recebido R$ 500 mil de propina.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirma que o presidente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves agiram "em articulação" para impedir o avanço da Lava Jato.

A afirmação consta da decisão do ministro Edson Fachin, que determinou a abertura de inquérito para investigar Temer, Aécio e o deputado Rodrigo Rocha Loures , também afastado por decisão da Justiça.

Na próxima semana, PSOL e Rede também protocolarão representação contra Rocha Loures por quebra de decoro parlamentar.